Como solucionar os problemas de rateio das contas dos condomínios?


O rateio das contas dos condomínios é um dos principais desafios enfrentados por síndicos e administradoras. Quando falamos na divisão das contas de água e energia, então, manter uma relação amistosa com os condôminos, não é nada fácil. Pensando nisso, compartilhamos, neste artigo, os pontos mais relevantes sobre tal processo. Continue a leitura e saiba como solucionar os problemas de rateio das contas dos condomínios.

Controle as despesas ordinárias e extraordinárias

O primeiro passo é controlar bem as diferentes despesas compartilhadas entre os moradores. Vale lembrar que, contribuir com as despesas é um dos deveres do condômino, conforme texto do inciso I, do artigo 1.336 do Código Civil. Estas contribuições são divididas em duas categorias: as despesas ordinárias – ou de custeio – e as extraordinárias. Compreenda melhor, cada uma delas:

Despesas ordinárias: aquelas relativas à manutenção da rotina do condomínio e à sua administração.

• Pagamento de funcionários (encargos trabalhistas, salário, vale transporte, etc)

• Consumo de água e esgoto, luz, gás

• Manutenção e conservação de equipamentos (extintores, caixa d’água, etc)

• Custos com limpeza, conservação e pintura das áreas comuns

• Despesas administrativas (material de escritório, custas de registros, etc).

• Seguros do condomínio (incêndio, destruição, roubo e outros)

Despesas extraordinárias: aquelas não previstas nos gastos de rotina.

• Pintura das fachadas

• Vazamentos e infiltrações

• Reformas ou obras de estrutura

• Indenizações trabalhistas e previdenciárias (quando se aplicar)

• Despesas de decoração e paisagismo em jardins e áreas comuns

• Instalação de equipamento de segurança, incêndio, telefonia, monitoramento

Síndicos, apoiados pelas administradoras, devem criar um planejamento anual de despesas do condomínio, para lidarem com todos esses gastos. Esse material deve ser apresentado aos moradores, em assembleia.

Entenda o processo de rateio das contas dos condomínios

Sabemos que o rateio é a divisão das despesas do condomínio entre os moradores. Ou seja, tudo aquilo que foi gasto (entre despesas ordinárias e extraordinárias), dentro de um mês, deve ser pago por todos. Porém, existem alguns fatores que devem ser considerados nesse processo, como a quota de condomínio e a inadimplência.

A quota de condomínio, referente à essas despesas mensais, pode ser estabelecida por um valor fixo ou, por um rateio mensal. No primeiro caso, define-se, em assembleia, um número com base no planejamento anual de despesas do condomínio. No caso do rateio mensal, a quota difere-se de um mês para outro, de acordo com a variação dos gastos.

Para garantir o pagamento de todos os custos mensais, um condomínio precisa ter uma inadimplência próxima a 0%. Pode parecer um cenário impossível, mas somente reduzindo ao máximo a inadimplência, evita-se impactos graves ao fluxo de caixa.

As regras sobre o rateio das contas dos condomínios estão previstas na Lei nº 10.931. De acordo com o documento, não existe apenas um critério de rateio. Os condomínios podem alterar a forma de contribuição, desde que seja expresso na convenção. Portanto, atualmente, apesar da maioria dos gestores condominiais optarem por utilizar o critério da fração ideal, não existe apenas uma forma de realizar esse processo.

Conheça bem os critérios de rateio

Rateio pela fração ideal da unidade: a fração ideal é a quota referente à parte que cada condômino tem dentro da área comum do condomínio. Assim, cada morador contribui de maneira proporcional ao tamanho do seu imóvel. Ela é válida quando não houver disposição na norma interna – alterada por, pelo menos, 2/3 dos condôminos.

Atenção! No rateio das contas de água e energia, por exemplo, esse critério pode gerar questionamentos dos condôminos. Afinal, entende-se que unidades maiores consomem mais estes recursos, do que unidades menores. Porém, a situação pode não ser bem assim. Dessa maneira, recomenda-se conversar com o morador e explicar outros motivos que levaram a adoção desse critério para o rateio das contas do condomínio.

Rateio igualitário: todas as unidades pagam o mesmo valor de contribuição de despesas. Este critério é utilizado em condomínios com o entendimento de que os custos são oriundos das áreas comuns. Sendo que estas são usufruídas por todos os moradores. As despesas como salário de funcionários, serviços de administração, manutenção e limpeza, são assim divididas igualmente entre os condôminos.

Mas, quem paga o rateio?

O proprietário é responsável pelo pagamento das despesas extraordinárias. Já as ordinárias, ficam a cargo dos inquilinos.

Busque sempre a transparência na gestão

Síndicos e administradoras de condomínios devem sempre tratar o rateio das contas com muita transparência. A saúde financeira dessas propriedades está em jogo nesse processo. Além disso, é necessário que todos entendam o quão importante é evitar a inadimplência. Caso alguma dúvida surja entre os moradores, os gestores devem esclarecer prontamente. A prestação de contas deve ser constante. Afinal, manter uma boa comunicação interna é fundamental para lidar com esse desafio. Vale reforçar ainda que seguir as determinações da convenção é regra. E, sempre que acharem necessário, os síndicos devem levar as discussões para debates, junto aos moradores, em assembleias.

Aposte em soluções tecnológicas como aliadas

Mesmo em condomínios menores, ter controle sobre essa gestão financeira não é fácil. Recorrer à tecnologia é a saída. Existem no mercado diversos softwares para a gestão condominial. Além deles, já são desenvolvidas soluções inteligentes, utilizadas em paralelo, para automatizar processos da rotina administrativa dos condomínios. Você já ouviu falar sobre as plataformas IoT para o monitoramento do consumo de água, energia e gás? Esta é uma das soluções ofertadas pela CONCERT Cloud.

Uma ferramenta que possibilita o acompanhamento, em tempo real, dos índices de consumo por cada unidade dos seus condomínios. A plataforma ainda identifica situações de alertas, como possíveis vazamentos na tubulação de água. Apostando nessa solução será possível acompanhar onde existem maiores e menores consumos. Assim, estabelecer um rateio das contas de água, gás e energia, mais justo.

Quer saber mais sobre como otimizar a gestão de consumo nos condomínios geridos por sua administradora? Converse com nossos consultores e agende uma demonstração!

13 visualizações0 comentário